135Plágio no kpop

Por que acontecem tantos casos de plágio no kpop?

A cópia de produtos intelectuais não é uma exclusividade da Coreia do Sul. É um problema que se estende pelo mundo todo e, em vários episódios, não há leis específicas para determinar o que é certo e o que é errado. Por isso acontecem casos de plágio no kpop difíceis de entender ou acreditar.

Tópicos da matéria:

O que é ou o que configura um plágio

Segundo dicionários, plagiar é o ato de apresentar uma obra intelectual, seja uma música, um desenho ou um texto, de autoria de outros como se fosse sua. Ou seja, é mostrar ao mundo uma obra ou parte de uma obra de terceiro assinada por você. Isso acarreta em inúmeros problemas e é, com certeza, um ato desleal e desrespeitoso.

Cada país tem suas próprias leis com relação ao plágio. Segundo a Lei 9.610, no Brasil, considera-se a ação como criminosa. Um ocorrido em setembro de 2023 com a solista IU nos deixou pistas de como o assunto é tratado na Coreia do Sul, quando seus representantes disseram:

“Para que a violação de direitos autorais seja reconhecida pela Lei, um autor deve criar uma obra que seja substancialmente semelhante à obra existente de outro autor sem permissão.¹

No caso, a cantora estava sendo acusada de plágio pelas composições de músicas das quais não havia participado, mas apenas interpretado. Sendo assim, o correto seria direcionar a denúncia aos compositores. Sua empresa destaca ainda que deveria existir uma cópia substancial, ou seja, em grande parte para se enquadrar como plágio.

Num mundo globalizado, recebemos informações com muita facilidade e rapidez, mas jamais devemos ultrapassar a linha entre inspiração e cópia. No caso de inspirações, inclusive, há formas adequadas de se fazer citações e reproduções sem que se enquadrem como plágio. Mas a depender das regras de cada país, isso ainda pode ser controverso.

6 acusações e casos de plágio no kpop

A seguir, vejamos alguns diferentes casos de plágio no kpop e quais medidas foram tomadas depois de cada acusação, seja formal ou atribuída pelo tribunal da internet.

1. O fim de um programa de mais de uma década

Yoo Hee Yeol’s Sketchbook” foi um programa ao ar de 2009 a 2022, que foi encerrado após o apresentador que dá nome ao mesmo ser acusado de plágio, admitir a culpa e decidir deixar a televisão. O artista fez uma reflexão sobre o assunto quando disse que tinha tanta admiração por outro profissional que seu estilo ficou enraizado em sua mente, fazendo com que ele não percebesse que ao criar estava apenas reproduzindo o trabalho dele.

É plágio ou não é?: fica a dúvida, já que o próprio alvo do suposto plágio disse que concordava com as semelhanças, mas que não via motivos para uma ação legal. Porém o público não foi tão amigável com o assunto².

2. Artes muito semelhantes que deixam dúvidas

"Urusei Yatsura", de Rumiko Takahashi, e arte promocional de "Fast Forward", da cantora Somi (acusação de plágio no kpop)

“Urusei Yatsura”, de Rumiko Takahashi, e arte promocional de “Fast Forward”, da cantora Somi

Em agosto de 2023 a empresa responsável por gerenciar a carreira solo de Somi precisou se pronunciar sobre as alegações de plágio em artes que promoviam o comeback mais recente da cantora, além de também aparecerem no vídeo clipe.

As acusações foram levantadas on-line quando internautas perceberam as semelhanças da personagem que aparecia no MV com outra famosa, de “Urusei Yatsura”, obra de Rumiko Takahashi, como mostra a imagem acima.

É plágio ou não é?: a THEBLACKLABEL fez um pedido formal de desculpas e imediatamente removeu as cenas do clipe. Mas ninguém formalmente indiciou o caso como plágio, deixando dúvidas devido às suas claras semelhanças (ou seriam apenas coincidências?).

3. Coreografias também têm direitos autorais

O coreógrafo Vata se envolveu numa polêmica enquanto participava do programa “Street Man Fighter” ao produzir uma coreografia para a música “New Thing”, do cantor Zico. Acontece que os primeiros passos da dança são idênticos aos da coreografia de “Say My Name”, um dos singles mais famosos do grupo Ateez.

Anze Skrube, um dos artistas que criou a coreografia para o Ateez, se pronunciou reforçando que a sua originalidade pertence a ele e seus parceiros de trabalho Josh Smith e Johnny Erasme. Vata também se pronunciou pedindo desculpas pelas controvérsias, sem admitir o suposto plágio, mas explicando suas razões para o tal movimento.

É plágio ou não é?: apesar de nada confirmado, a semelhança absurda entre os dois deixa o caso bastante suspeito. O grande problema disso é o uso desleal da arte de outrem para se autopromover e ganhar reconhecimento.

4. Acusação de plágio em design de marca

A marca TWM Strap e o grupo de kpop TWS (acusação de plágio no kpop)

A marca TWM Strap e o grupo de kpop TWS

O universo das marcas é outro alvo de plágios frequente, e no kpop não seria diferente. O mais recente grupo da Pledis, o TWS, apresentou sua identidade visual que é idêntica a uma marca sul-coreana chamada TWM Strap. A Pledis informou que encerrou rapidamente o caso com um “acordo amigável”.

É plágio ou não é?: há semelhanças gritantes entre os dois projetos, e como designer de marcas acredito sim que o caso foi de plágio. Provavelmente, para evitar dores de cabeça maiores do que já tiveram, a Pledis pagou um acordo para que a TWM não os processasse e pudessem usar o logo sem alterações.

Isso pode acontecer quando inúmeros projetos, tanto físicos quanto digitais, já foram desenvolvidos com uma identidade visual, a qual normalmente seria perdida no caso de resolver o plágio na justiça.

5. Ao menos um pedido de desculpas

A cantora Soyeon, também integrante do grupo (G)I-DLE, e sua empresa, a Cube Entertainment, fizeram um pedido de desculpas depois de uma acusação de plágio. O fato é que, inicialmente, a artista, que fora mentora do reality show “My Teen Girl”, alegou dar de presente uma música de sua autoria para as finalistas.

Depois de ir ao ar, muitos notaram a semelhança da música “Sun” com a canção “Wave”, do grupo Ateez. A KQ Entertainment, que gerencia o Ateez, afirmou que sua equipe recebeu créditos na nova canção, mas que não chegou a um acordo sobre o uso de sua propriedade intelectual.

É plágio ou não é?: o pedido de desculpas e a justificativa às pressas deixou claro esse caso de plágio no kpop, que teve partes de uma obra reproduzida sem acordos ou autorização.

6. A internet não é uma terra sem lei

O logo de 15 anos do Tokyo DisneySea e o logo de 15 anos do grupo Girls' Generation (acusação de plágio no kpop)

O logo de 15 anos do Tokyo DisneySea e o logo de 15 anos do grupo Girls’ Generation

Já em agosto de 2022, o diretor de arte responsável pelo MV de “Forever 1”, do grupo Girls’ Generation, admitiu ter copiado o logo comemorativo de 15 anos do Tokyo DisneySea para o cenário do clipe.

É plágio ou não é?: um caso nítido de plágio que literalmente consistiu na cópia de outra arte já existente. Simplesmente o “copia e cola”, que aparentemente não teve nenhum tipo de punição, a não ser a remoção do plágio do vídeo clipe.

Outro assunto que gera polêmica na hallyu é sobre a censura no kpop, que parece não ser muito coerente com discrepâncias nítidas. Leia mais sobre esse assunto clicando no link.

Bru
Bru

Designer de marcas e produtora de conteúdo. Apaixonada por cores, jogos e, é claro, pelo kpop. Meu grupo preferido é o SHINee e meu bias utt é o Taemin.